Updates

2 semanas atrás

Floradata

No jornal digital de Caminha:
"A Serra d´Arga estava mal estudada", admitiu Paulo Alves, especialista em flora, revelando que os números de espécies encontradas são "impressionantes". Existe uma planta que se julgava extinta há 40 anos, revelou este estudioso da flora, a par de inúmeras outras, raras ou em risco de extinção.
... Ver MaisVer Menos

Ver no Facebook

3 semanas atrás

Floradata

Calistegia silvatica, Maia. Em 1973, o botânico José Malato-Beliz publicou um artigo na revista Lagascalia onde descrevia uma exótica nova para a flora portuguesa. Calystegia silvatica é nativa do centro e este da Europa, alcançando a Asia. Chegou a Portugal provavelmente através do cultivo em jardim, já que possui uma corola mais vistosa do que a nossa corriola nativa (Calystegia sepium). Contudo, os dois táxones são muito parecidos e apresentam uma enorme compatibilidade genética, produzindo híbridos facilmente. Essa compatibilidade e elevada fertilidade dos híbridos foi investigada por Clive Stace, que referiu a presença deste híbrido (C. x lucana) no Reino Unido, assim como em diversos outros países da parte oeste da Europa e norte de África. Em 1996, Richard Brummitt publicou um artigo em que validava C. silvatica subsp. disjuncta como subespécie mediterrânea ocidental de C. silvatica. Um trabalho posterior conjunto com investigadores do Museu de História Natural (Brown et al. 2009), baseado em estudos genéticos, mostrou a origem híbrida desta nova subespécie, que corresponderia ao híbrido C. x lucana.
O próprio arguente da tese de doutoramento de Brummit sobre o género Calystegia, Tom Tutin, era contra a validade de novos táxones dentro do complexo silvatica/sepium, considerando mesmo que estas duas entidades taxonómicas seriam apenas subespécies. Não será de estranhar que Brummitt tenha publicado este novo táxon após o falecimento de Tutin, talvez com receio que alguém o fizesse posteriormente.
... Ver MaisVer Menos

Ver no Facebook

1 mês atrás

Floradata

O Documentário "Viver a Natureza em Ponte da Barca" já está disponível e teve elementos da Floradata como consultores científicos. ... Ver MaisVer Menos

Ver no Facebook

2 meses atrás

Floradata

Ehrharta calycina, Casal dos Pianos, Sintra. Apesar de não estar listada no Decreto-Lei n.º 92/2019, faz agora parte das espécies invasoras preocupantes para a União Europeia. Esta gramínea compete muito bem em solos arenosos, sendo comum em alguns locais do centro e sul de Portugal. No Baixo Alentejo é comum em diversos biótopos, desde bermas de estradas a montados. ... Ver MaisVer Menos

Ver no Facebook